26.8 C
Campo Grande
terça-feira, 4 de outubro, 2022
- Publicidade -

COM FOCO NA SAÚDE MENTAL, VALORIZAÇÃO DA VIDA ATUA EM ESCOLAS DA REME

5O cuidado com a saúde mental e psicológica também é uma das áreas de atuação junto aos alunos da Rede Municipal de Ensino (REME) de Campo Grande. Para acompanhar e auxiliar em situações vivenciadas pelos estudantes, a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) mantém, desde 2018, o programa “Valorização da Vida” que tem como missão contribuir para a promoção da saúde mental e da resolução de conflitos na comunidade escolar.

COM FOCO NA SAÚDE MENTAL, VALORIZAÇÃO DA VIDA ATUA EM ESCOLAS DA REME

Durante o “Setembro Amarelo” são realizadas ações específicas para abordar diversos temas nas escolas. “Nós atuamos para auxiliar a escola, ou a turma e o aluno individualmente, em questões pontuais e também de maneira preventiva. Agimos quando existe a necessidade de direcionamento para os alunos e por isso as vivências podem ser diversas, desde tratar as emoções, projetos e metas para o futuro. E em cada ação pode surgir demandas novas, por isso estamos sempre atentos”, explica a psicóloga Fátima Vaz, da Coordenadoria de Psicologia e Assistência Educacional (CPAE).Na E.M. Imaculada Conceição, no Jardim Batistão, os alunos do 6º ano participaram da vivência “Emoções” e tiveram a chance de expressar os sentimentos e dúvidas. “Eu perguntei se algum dia nós vamos conseguir controlar as nossas emoções, porque agora parece muito difícil. Tem dias que eu estou muito feliz, outros eu estou muito triste, às vezes sinto raiva. Eu gostei da vivência, aprendi muitas coisas”, disse o aluno Gustavo Fernandes.Um dos pontos da experiência é que os alunos digam o que os deixa felizes. “Quando o dia está ensolarado, quando eu vejo minha mãe, quando é meu aniversário, são as coisas que me fazem felizes. Aqui na dinâmica a gente aprendeu que a felicidade é o que torna a nossa vida brilhante”, disse o estudante Danilo Fernandes.

COM FOCO NA SAÚDE MENTAL, VALORIZAÇÃO DA VIDA ATUA EM ESCOLAS DA REME

Todo o trabalho é desenvolvido para contribuir no dia a dia da escola, individualmente para os alunos e profissionais da educação, que participam de ações específicas e em momentos distintos. “Já tivemos várias experiências nas vivências, onde alunos revelaram problemas graves, e nestes casos são necessários os encaminhamentos. E também já tivemos que atuar para atender a equipe da escola, e muitos acabam observando a necessidade de acompanhamento médico. É importante que cada um avalie e procure a ajuda que precisa”, esclareceu a psicopedagoga e assistente social do programa, Fernanda Magalhães.“Essas vivências são muito importantes para os alunos. O Rodrigo perdeu o pai recentemente, ficou 15 dias sem vir à aula e perdeu um pouco da rotina que já estava inserido. Ele retornou ainda bem machucado com a perda e estes momentos nos quais trabalham a valorização da vida com os alunos, torna tudo mais fácil e menos doloroso”, explicou Marciléia Domingues, assistente educacional inclusiva do aluno Rodrigo Moreira Bernal, que tem síndrome de down.O diretor da unidade escolar, Aristides José Bassi, também reconhece a importância do programa. “Aqui na escola temos alguns alunos que não estão tendo um bom convívio social, que estão tendo dificuldades para lidar com as suas emoções. Essas ações do Programa Valorização da Vida são muito importantes para conscientizar sobre a saúde mental de todos os estudantes. Tanto alunos como servidores têm o direito de ter um ambiente saudável para que possam desempenhar suas funções com tranquilidade”Setembro AmareloO programa “Valorização da Vida”, desde que teve início há quatro anos, já realizou mais de 48 mil atendimentos, sendo 6.170 (2021) e 21.401 (até agosto de 2022). Os alunos atendidos passam por algum tipo de sofrimento e necessitam de uma atenção psicossocial, humanizada, que tire os jovens e crianças do estado de depressão. Os profissionais que atuam na Educação pública municipal também são assistidos pela equipe. Durante o período crítico da pandemia, o atendimento teve como foco o luto de alunos e servidores, que perderam familiares para a covid-19.Como parte das ações desenvolvidas no “Setembro Amarelo”, que é o mês da prevenção ao suicídio, a equipe realiza atividades específicas nas escolas. “Trabalhamos muito na prevenção. É necessário despertar o olhar para dentro de si e também ajudar ao próximo”, afirmou Fátima Vaz.Na sexta-feira (23) a equipe estará na Praça Ary Coelho com a ação voltada à população, das 8h às 16h. No local as psicólogas do programa estarão disponíveis para orientação e conscientização da comunidade sobre o tema.ServiçoA CPAE atende pelo telefone (67) 2020-3954. Caso precise de ajuda o Grupo de Amor Vida (GAV) atende pelo número (67) 99644-4141.

Comentários do Facebook

Confira também

- Publicidade -

AS MAIS LIDAS

- Publicidade -
- Publicidade -
Comentários do Facebook