25.8 C
Campo Grande
segunda-feira, 23 de maio, 2022
- Publicidade -

Do interior de Rondônia, volante disputa Copinha por clube do Tocantins e espera retribuir em campo esforço dos pais

Atleta saiu de casa aos 15 anos em busca do sonho de se tornar jogador de futebol Tainan Guilherme, de Querência do Norte, na Copinha pelo Taquarussú
Arquivo Pessoal
Uma história de superação e incentivo familiar. Foi isso que o volante de Querência do Norte, em Primavera de Rondônia, Tainan Guilherme, do Taquarussú (TO), deixou na Copinha desse ano. Em casa, ele conta com o incentivo de Idevaldo Felício de Oliveira e Sônia da Silva Gregório de Oliveira, que acorda todos os dias 3h para tirar leite e dar sustento a família.
Tainan é um dos 51 rondonienses inscritos na Copa São Paulo de futebol júnior. E, em campo, o camisa 15 buscou corresponder esse esforço. Nos gramados de SP, o time dele teve pela frente o Velo Clube, União São João e Athlético Paranaense. Equipe a qual arrancaram um empate em 0 a 0. Em conversa com o ge.globo/ro, ele abordou a vontade de vencer no esporte para retribuir.
– Minha família sempre foi minha maior incentivo. Quando eu entro em campo eu sempre penso neles. Isso é gratificante. Ter pessoas que me apoiam e que me incentivaram desde o começo. Foi bem difícil no começo. Deixar a família. Eu sair de casa eu tinha 15 anos. Mas eu sabia que eu estava indo atrás do meu sonho e isso foi um do ponto para fazer eu sair de Rondônia para ir jogar em outro estado do Brasil – revelou.
Tainan, de Querência do Norte (RO) pelo Taquarussu (TO)
Arquivo Pessoal
O primeiro treinador de Tainan foi o professor Toninho Gregório. Aos 15 anos, ele foi convidado para fazer avaliação no Brasilis (SP). Por lá, disputou o campeonato Paulista. E o bom desempenho chamou a atenção do observador e técnico Toninho Bahia que o convidou para integrar a equipe do Comercial de Saltos de São Paulo. O talento em campo de Gregório fez com que ele passasse pelo Juventus (SC), onde permaneceu por um ano, Maringá, Atlético Marialva (PR) e agora o Taquarussú (TO).
Aos 20 anos, o atleta teve a chance de disputar sua primeira Copinha. Tida como Copa do Mundo, por grande parte dos atletas, ele ainda teve uma atuação de gala no confronto diante do Athletico Paranaense. Tainan falou sobre isso.
– Foi uma realização de um sonho para mim. Todo jogador de futebol pensa em jogar a Copinha e para mim foi uma realização de um sonhos. Acredito que com a competição posso ter sido observado. Contra o Athletico Paranaense, foi um jogo especial e também bem difícil pois o furacão tem uma das melhores bases do Brasil e por ter cinco jogadores da Seleção Brasileira de base.
Tainan, de Querência do Norte, no Juventus (SC)
Arthur Neto
Para dar certo no futebol, o rondoniense aposta nas características que ele desempenha no jogo. Ele acredita que a força de vontade pode ser o diferencial. O jogador acredita no próprio potencial e pensa num futuro grande.
– Meu estilo de jogo é mais de marcação e também de ligação porque jogos de volante só que mais avançado. E essa foi a posição onde eu joguei a Copinha. Eu espero do meu futuro poder jogar uma série A do Brasileiro, uma Champions League e poder jogar pela Seleção Brasileira – finaliza.
Após a competição, Tainan tem o futuro em aberto. Também em Querência do Norte, o lateral-esquerdo Kaiky Grigorio disputou o último Campeonato Rondoniense Sub-17 pelo Guaporé.
Mais notícias do esporte rondoniense em ge.globo/ro
‘Eu dormia sonhando com isso’, diz rondoniense Mycael após assinar contrato com Athletico
Mycael, do Athletico, ganha prêmio individual após vice do Brasil em torneio internacional sub-20
A 80km de sede de clube, jovem treina em comunidade por espaço no futebol: “Campeonato de base é uma grande vitrine”
Vidraceiro, serralheiro (…) e hoje jogador de futebol: Conheça a história de Kellvy, joia do Real Ariquemes para a Copinha 2022

Fonte: Globo Esporte

Comentários do Facebook

Confira também

- Publicidade -

AS MAIS LIDAS

- Publicidade -
- Publicidade -
Comentários do Facebook