25.8 C
Campo Grande
segunda-feira, 23 de maio, 2022
- Publicidade -

Seleção se aproxima de acordo para enfrentar a Inglaterra em junho

Proposta já foi referendada pela cúpula da Conmebol e da Uefa e será votada nesta quarta em reunião no Paraguai A CBF pretende anunciar nesta quarta-feira um adversário de peso na preparação da Seleção para a Copa do Mundo. O presidente interino da entidade, Ednaldo Rodrigues, apresentou na noite de terça uma proposta para a equipe comandada por Tite enfrentar a Inglaterra, em junho.
O amistoso fará parte de um pacote de eventos conjuntos organizados pela Conmebol e pela Uefa. O projeto contou com o apoio dos presidentes das duas entidades em um jantar realizado na terça em Assunção, no Paraguai. A ideia conta com aval de Tite, que em setembro tornou público seu pedido para enfrentar adversários europeus antes da Copa.
– Faço pedido ao Juninho. Pode armar qualquer amistoso com qualquer seleção europeia, pois é importante. Nós queremos. A Seleção quer – disse o treinador à época.
Neymar conduz a bola diante de Walker no último jogo entre Brasil e Inglaterra, em 2017
Reuters
A proposta será votada no começo da tarde desta quarta em Assunção, na reunião do Conselho da Conmebol, que terá como convidado o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, e outros dirigentes da entidade europeia.
A intenção é realizar a partida em Londres no mesmo período de disputa do amistoso entre os atuais campeões da Copa América e da Eurocopa, Argentina x Itália, marcado para o dia 1º de junho.
O amistoso da Seleção faria parte da programação do chamado encontros dos campeões. De acordo com as negociações, vice da Copa América, a Seleção jogaria contra a Inglaterra, que ficou em segundo lugar na Euro.
Veja os melhores momentos do amistoso entre Inglaterra e Brasil, em 2017
O último amistoso da equipe comandada por Tite contra a Inglaterra foi um empate sem gols em Wembley em 2017. Na ocasião, a equipe teve a sua pior atuação sob o comando do técnico gaúcho até então.
A necessidade de encarar seleções europeias se tornou assunto frequente na CBF nos últimos meses. Recentemente, a entidade fez consulta informal à Fifa e à Conmebol sobre a possibilidade de montar time alternativo para disputar as últimas duas rodadas das Eliminatórias em março, enquanto o time principal viajaria para enfrentar os europeus, mas recebeu “não” como resposta.
Após o fim das Eliminatórias, há a previsão de duas datas Fifa antes da Copa, uma delas exatamente entre 31 de maio e 14 de junho, quando haveria o confronto com a Inglaterra, com até três jogos por equipe. A outra data Fifa prevê duas partidas em setembro. Um dos amistosos do Brasil nessas datas deve ser contra a Argentina – a CBF espera ainda definição da Fifa sobre a partida das Eliminatórias contra os argentinos, que foi interrompida no início.
O jogo da Seleção contra a Inglaterra em junho seria mais um capítulo da aliança entre a Uefa e Conmebol. Em dezembro, as duas confederações anunciaram que vão abrir em março um escritório em conjunto em Londres. O objetivo é viabilizar nos próximos meses uma série de torneios em diversas modalidades – de seleções e clubes, futebol feminino, de base, futsal e beach soccer –, além de avançar em alianças que envolvam a formação de treinadores e árbitros.
Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, em entrevista na sede da entidade
CBF
Na reunião de dezembro realizada por representantes dos dois continentes, uma proposta aprovada foi integrar as 10 seleções da América do Sul à Liga das Nações, competição criada em 2018 que reúne todas as 55 seleções europeias. Para isso, um grupo técnico foi constituído.
O novo torneio daria aos treinadores das seleções da América do Sul a oportunidade de voltar a ter confrontos no período de preparação para a Copa entre seleções da América do Sul e Europa, algo que não ocorre mais por causa do calendário cheio dos europeus com a Liga das Nações.
Alejandro Dominguez, presidente da Conmebol, e Aleksander Čeferin, presidente da Uefa, depois de reunião
Reprodução de Twitter
O formato não foi definido. Eles discutiram a possibilidade de os sul-americanos integrarem grupos junto com seleções europeias. Outra ideia é a Conmebol fazer sua própria Liga e depois juntar os finalistas de cada continente numa espécie de “mini Copa”.
Guerra fria com a Fifa
O calendário é o centro de uma disputa que hoje tem a Fifa contra a Uefa e a Conmebol. A Fifa tenta aprovação para uma mudança radical no calendário, que prevê uma Copa do Mundo a cada dois anos. As confederações continentais são contra, porque isso na prática desvalorizaria os seus próprios torneios de seleções. A ECA (Associação dos Clubes Europeus) também é contra.
Uefa e Conmebol ameaçaram até deixar a Fifa e não disputar a Copa do Mundo caso a ideia fosse levada adiante. Desde então, a ideia perdeu força.
Ao abrirem um escritório em conjunto em Londres, as duas confederações continentais que ganharam Copas do Mundo mandam para a Fifa a mensagem de que essa aliança é mais do que apenas conversa.

Fonte: Globo Esporte

Comentários do Facebook

Confira também

- Publicidade -

AS MAIS LIDAS

- Publicidade -
- Publicidade -
Comentários do Facebook