26.8 C
Campo Grande
terça-feira, 4 de outubro, 2022
- Publicidade -

Já estão abertas as inscrições em sete modalidades para os Jogos Brasileiros para Transplantados

Podem participar atletas infantis, juvenis e adultos em provas de atletismo, corrida de rua e caminhada, natação, tênis, tênis de mesa, ciclismo e triatlo virtual.

Estão abertas as inscrições para a 2ª edição dos Jogos Brasileiros para Transplantados. O evento, que acontece em Curitiba de 01 a 04 de setembro, irá reunir atletas transplantados de todo o País e da América Latina para competir em sete modalidades: atletismo, corrida de rua ou caminhada, ciclismo, natação, tênis, tênis de mesa e triatlo virtual. Os Jogos são realizados pela Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), com acordo de cooperação técnica com a Associação Brasileira de Transplantados (ABTx), entidade que dá apoio e orienta as pessoas que passaram por um transplante em todo o Brasil.

A competição, como o próprio nome já diz, reúne atletas que passaram por um transplante e assim ganharam novo significado para sua vida. O principal objetivo, além de reunir essas pessoas e ressaltar a importância da atividade física, é aumentar a percepção do público geral sobre a importância da doação de órgãos. Sabe-se que no Brasil 43% das famílias ainda não permitem a doação.  

Para realizar as inscrições, que são gratuitas, basta ter sido transplantado há pelo menos 1 ano, estar devidamente treinado e liberado pelo seu médico do transplante. Para comprovar essas informações é necessário enviar junto da ficha de inscrição um formulário preenchido e assinado pelo médico responsável pelo acompanhamento do transplante. No portal dos Jogos – https://www.jbtxcuritiba.com.br/ – também são encontrados os termos e condições do evento, que devem ser assinados por todos os inscritos – atleta e, se for o caso, acompanhante. O prazo para se inscrever vai até 31 de julho.

A primeira edição dos Jogos aconteceu em 2019 e reuniu cerca de 60 atletas transplantados, de 7 a 73 anos de todas as regiões do País. A competição também tem uma edição latino-americana e outra mundial e Curitiba foi a pioneira em um campeonato nacional.  Em razão da pandemia os Jogos ficaram dois anos suspensos e agora, em 2022, voltam a acontecer na capital paranaense.

Edson Arakaki, presidente ABTx, ressalta que a realização do evento é muito importante para chamar a atenção à importância da doação de órgãos e tecidos e também para mostrar às pessoas que é possível ter uma excelente qualidade de vida após o transplante.  “Esse é um evento esportivo diferente de tudo que já se viu. Isso porque temos uma dupla função. Temos que falar cada vez mais sobre a doação de órgãos e tecidos, que é um assunto importantíssimo para ser conversado em toda família. Além disso, para nós transplantados, o esporte significa qualidade de vida. O esporte é saúde e para quem fez transplante não é diferente. Podemos e devemos praticar”, comenta.  

Dentre os principais benefícios da atividade física estão o combate ao excesso de peso; a melhora na autoestima; diminuição da depressão, estresse e cansaço; aumento da disposição; fortalecimento do sistema imune; melhora da força e resistência muscular; fortalecimento dos ossos e das articulações; diminuição do risco de doenças cardiovasculares.  

A 2ª edição dos Jogos Brasileiros para Transplantados conta com o apoio de Instituto #deixevivo, Instituto Sou Doador, Instituto Gabriel, Instituto Sangue Bom, Liga atletas tx, Se Mexe Tx.

Sobre as provas 

Os Jogos para Transplantados serão divididos em provas para adultos, juniores e para crianças. Os atletas da categoria infantil e júnior, de todos os tipos de transplantes, competirão pelas seguintes faixas etárias (sem separação por gênero): sub13 – até 13 anos (infantil), Sub17 – 14 a 17 anos (juniores). As modalidades de competição infantil são o Pentatlo Infantil (Circuito) composto por Lançamento de pelota (250g), Lançamento de dardo (dardo plástico sem ponta, adaptado – 70cm/300g), 50m rasos, Salto em distância e Corrida de agilidade (25m entre cones) e nado livre 25m. E as crianças até 13 anos também competem nos 25 m de nado livre.  

Para os juniores terá atletismo (100m, 200m, 400m e 800m), natação (livre 50m e 100m, peito 50m e 100m e costas 50m e 100m), tênis e tênis de mesa.

Já os atletas adultos, independentemente do tipo de transplante, irão competir por gênero nas seguintes faixas etárias: 18-35, 36-49, + de 50 anos. Eles poderão optar por competir em até 5 provas nos os Jogos. Na modalidade atletismo estão disponíveis: 100m, 200m, 400m e 800m.  A Corrida de Rua ou Caminhada será de 5 km. O ciclismo será de 20 km. A natação terá as modalidades: Livre 50m, 100m e 400m, Peito 50m e 100m, Costas 50m e 100m. Tênis e tênis de mesa apenas a categoria simples. Já o triatlo virtual será composto pelas modalidades corrida, ciclismo e natação.       

As competições serão em diferentes locais de Curitiba que ainda serão definidos pela Prefeitura da cidade.

Os três primeiros colocados de cada faixa etária ganham medalhas. Em eventos que envolvem classificação antes da final (Tênis), as medalhas de bronze duplicadas serão concedidas a ambos os semifinalistas perdedores. 

Programação 

01/09 a partir das 18h30: Cerimônia de abertura

02/09 a partir das 8h: Ciclismo

02/09 a partir das 14h: Tênis e tênis de mesa

03/09 a partir das 9h: Natação

03/09a partir das 14h: Atletismo 

04/09 a partir das 7h30: Corrida de Rua 

SOBRE A CAUSA 

– Antes da pandemia da Covid-19, a cada um milhão de brasileiros, 18 eram doadores. Com a questão do vírus, o índice caiu para 16 pmp (doadores por milhão da população). Isso fez aumentar ainda mais a fila de pessoas que esperam pelo gesto que pode garantir a vida.

– Em 2019, a fila de espera por órgãos estava em aproximadamente 38 mil pessoas. Hoje, de acordo com a Associação Brasileira de Transplantados (ABTx), o número aumentou cerca de 30%, chegando a quase 50 mil pessoas à espera de um transplante.

– De acordo com dados do Ministério da Saúde, as cirurgias de córnea e rim reúnem o maior número de pacientes na espera.

– Para ser doador de órgãos no Brasil, é preciso comunicar a família, pois somente parentes podem autorizar a doação. A doação de órgãos e tecidos pode ocorrer após a constatação de morte encefálica, que é a interrupção irreversível das funções cerebrais, ou em vida. Um único doador pode salvar mais de dez pessoas doando órgãos e tecidos, como córneas, coração, fígado, pulmão, rins, pâncreas, ossos, vasos sanguíneos, pele, tendões e cartilagem. Além de avisar a família, o interessado na doação de órgãos pode fazer o cadastro no site da Adote.

Mais informações: www.abtx.com.br  

Comentários do Facebook

Confira também

- Publicidade -

AS MAIS LIDAS

- Publicidade -
- Publicidade -
Comentários do Facebook